Make your own free website on Tripod.com

SOBRE A AUTORA

Messody Ramiro Benoliel, artisticamente conhecida como Messody Benoliel, é carioca, sagitariana, advogada, poeta, cantora e compositora. Em cada uma dessas atividades, sempre teve uma vida intensa.

-A advogada: Formou-se em Direito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (velho casarão do Catete), em l956, tendo sido a primeira Presidente da Ordem dos Advogados do Brasil-Mulher, da 28º Subseção e durante 2 biênios, Presidente da Subcomissão de Direitos Humanos da OAB, também na 28º Subseção, na década de oitenta. Exerce a profissão, tendo se especializado na área trabalhista.
-A cantora: Para quem não sabe, começou pelas mãos de Renato Murce, no Programa Papel Carbono, da Rádio Nacional, na década de cinquenta. Cantava músicas do repertório de Dinah Shore, Ella Fitzgerald, Doris Day e de outros cantores estrangeiros. Cantou com grandes orquestras nos bailes de formatura em que ia para dançar, o que nem sempre acontecia, pois se empolgava e não queria mais parar de cantar, como ainda canta, com grandes músicos brasileiros, o Clássico Popular, MPB e Sambas. Em francês, tem agradado muito a todos que a ouvem, tendo sido chamada de Edith Piaf brasileira, pelo saudoso cantor intérprete Ivon Cury. Profissionalizou-se há muitos anos e canta em 5 idiomas.
-A compositora: Ficou conhecidíssima no Município de Saquarema, onde durante mais de dez anos, foi autora dos sambas pora os blocos Reco-Reco e Grilo, os quais eram cantados por ela nos ensaios e durante os desfiles carnavalescos. É também autora de toadas cantadas pela população. Em 85, recebeu o título honofífico de Cidadã Saquarenense, do qual muito se orgulha, das mãos do Juiz de Direito Dr. Leomil Pinheiro.
-A poeta: Começou a fazer poesia aos 14 anos de idade e acha que ainda tem muito a aprender. Messody Benoliel, como é conhecida, foi Presidente fundadora da Associação Profissional de Poetas no Estado do Rio de Janeiro (APPERJ) pertencendo a várias Academias de Letras, tendo sido a primeira mulher a ser Vice-Presidente da Federação das Academias de letras do Brasil, biênio 98/99, possuindo várias obras em Cordel, sendo Vice-Presidente da Sociedade Literária do Soneto, que se reúne mensalmente, no centro de Cidade do Rio de Janeiro.